Pular para o conteúdo principal

9ª Edição do Prêmio BDMG-Instrumental

O BDMG-Cultural apresenta nos dias 17, 18 e 19 de abril de 2009 (sexta-feira, sábado e domingo), a 9ª edição do Prêmio BDMG-Instrumental, no Teatro Sesiminas (Rua Pe. Marinho, 60 – Santa Efigênia - BH/MG), a partir das 19 horas. Ingressos: R$ 2,00 (renda revertida para o “Projeto Social Raio de Luz”).


No dia 17, sexta-feira, seis concorrentes – cada um com uma banda formada por no máximo cinco integrantes, vão apresentar três músicas: duas autorais e um arranjo assinado pelo concorrente.
No sábado, dia 18 de abril, no mesmo horário, outros seis concorrentes mostram os trabalhos com os quais se inscreveram. Ao final das apresentações do dia 18, a Comissão Julgadora decidirá quais de todos os 12 compositores e arranjadores que se apresentaram nas duas noites serão os seis finalistas. Esses seis músicos voltam ao palco do Sesiminas no domingo para nova avaliação.
No dia 19 de abril, após a apresentação dos seis finalistas, o vencedor do Prêmio Marco Antonio Araújo, Warley Henrique (”Delicado”, Melhor CD do ano) vai se apresentar, enquanto a Comissão Julgadora decidirá todos os vencedores da 9ª edição do Prêmio BDMG-Instrumental de 2009:
4 vencedores (compositores e arranjadores) – R$ 7 mil + produção de um show em Belo Horizonte + um show no Sesc Avenida Paulista e um show dos quatro vencedores no Teatro do Usicultura.
2 finalistas – R$ 2 mil
Melhor Arranjador – R$ 1 mil
Melhor Músico Acompanhante – R$ 1 mil
Melhor Instrumentista – R$ 1 mil
Prêmio Marco Antonio Araújo – R$ 2 mil (Melhor CD “Delicado”, de Warley Henrique, produzido entre abril a dezº/ 2008)
A Comissão Julgadora que escolherá os vencedores será composta por jornalistas com especialidade em música, produtores musicais e músicos, arranjadores e compositores. Os finalistas são:

01 - Adriano Campagnani (natural de Belo Horizonte, contrabaixista)
02 - Alexandre Andrés (natural de Belo Horizonte, flautista)
03 - André Rocha (natural de Belo Horizonte, violonista)
04 - Daniela Rennó (natural de Itajubá, vibrafonista)
05 - Edson Morais (natural de Montes Claros, saxofonista)
06 - Frederico Heliodoro (natural de Belo Horizonte, contrabaixista)
07 - Helvécio Viana ( natural de Ribeirão Preto, violonista)
08 - Ricardo Novais (natural de Belo Horizonte, flautista)
09 - Rodrigo Lana (natural de Carmo do Paranaíba, pianista)
10 - Rodrigo Torino (natural de Belo Horizonte, violonista)
11 - Rubim do Bandolim (natural de Timóteo, bandolinista)
12 - Vagner Faria (natural de Divinópolis, contrabaixista).

Adriano Campagnani (natural de Belo Horizonte, contrabaixista):

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

MÉTODO PARA GAITA DIATÔNICA - LEANDRO FERRARI - GAITA FOLK, POP & ROCK - VOLUME 1

R$ 49,00 PIX CNPJ:  21.081.155.0001/70 Método digitalizado + audio Contato Whatsapp: Leandro Ferrari +55 73 998707338 +44 7376934825 1a Edição  ( EQUIPE MIDIDÁTICA CONSULTORIA LTDA CHEESEBREAD STUDIOS) Título: MÉTODO PARA HARMÔNICA DIATÔNICA - LEANDRO FERRARI - GAITA FOLK, POP & ROCK - VOLUME 1 Autor: Leandro Ferrari Original de Belo Horizonte/MG/Brasil Revisão: Fernanda Shairon Ilustração: Marcelo Braga (EQUIPE MIDIDÁTICA CONSULTORIA LTDA & CHEESEBREAD STUDIOS) Diagramação: Yuri Martuccelli (EQUIPE MIDIDÁTICA CONSULTORIA LTDA & CHEESEBREAD STUDIOS) Direção Geral: José Renato Caldeira de Souza (EQUIPE MIDIDÁTICA CONSULTORIA LTDA & CHEESEBREAD STUDIOS) Foto: Karlis Smits Design Logo: Marcão Freak Formato:  DIGITALIZADO Num. págs. 126 páginas Fotos: https://www.facebook.com/media/set/?set=a.10150938373933331.436116.827753330&type=1&l=5b63f7b595 Conteúdo:  O método é dividido em 100 aulas práticas e teóricas e acompanha
Spotify:  https://open.spotify.com/artist/5iTI2v1yC3rToB3xWHYw7a?si=y4MZPMZvTHetHrXhtIX1-g

Gaita e Efeitos

A utilização de pedais, filtros e truques de estúdio na gaita vêm de muito tempo. Tudo começou com Little Walter; preocupado em não perder espaço para as guitarras que haviam sido eletrificadas após a segunda guerra mundial ele adotou um procedimento simples, ligou um pequeno microfone em um amplificador e mudou de vez a história da gaita. Além de usar este método para obter mais volume ele também explorou novos timbres e efeitos até então inéditos. Segundo o pesquisador Madison Deniro ele foi o primeiro músico a utilizar, propositadamente, uma distorção eletrônica. Você pode notar então que a história da guitarra elétrica se cruza com a história da gaita elétrica. Mas por alguns motivos, dentre eles o conservadorismo dos músicos e do público de blues (diga-se de passagem, que tem todo meu respeito e meu entendimento, pois é necessário exaltar e manter as raízes e a história, também) a gaita não acompanhou o desenvolvimento da guitarra. Nomes como Jimi Hendrix, Jeff Back, Jr. Tostoi