Pular para o conteúdo principal

Robson Fernandes: blues contemporâneo brasileiro


Impossível não ligar o nome de Robson Fernandes ao blues contemporâneo brasileiro. Possuidor de timbre, energia e técnica apurada; eleva o estilo ao melhor nível exibido no exterior.

Robson nasceu em 1976 na cidade de São Paulo, e ainda jovem, aos 16 anos, começou a estudar a gaita diatônica como instrumento de paixão aliada à suas pesquisas sobre o blues. Estudou Harmonia e Improviso com Lupa Santiago e Bocato. Em 2002 lançou o primeiro Cd de Gaita Blues Instrumental do Brasil, o CD "Sampa Blues", acompanhado por alguns dos melhores nomes do blues brasileiro. Este trabalho colocou Robson Fernandes em evidência no cenário nacional e atrai comentários da mídia especializada no Brasil e no exterior.
Seu segundo CD, Gumbo Blues, 2005, foi o marco de um novo ciclo de trabalho. Robson mostra ousadia e feeling ao executar com técnica impecável seu instrumento e iniciar o registro de sua voz nas gravações. Este álbum entra para a história como o primeiro CD de um gaitista solo brasileiro a ser distribuído nos EUA e Europa pelo selo Pacific Blues do produtor Jerry Hall. Robson Fernandes já tomou parte nos principais Festivais de Jazz & Blues do país, como o Natu Blues Festival, Festival Internacional de Guaramiranga, Festival Internacional de Rio das Ostras, Garanhuns Jazz Festival, Oi Blues By Night, Encontro Internacional de Harmônicas e outros.
Após um longo processo de maturação e composição em conjunto com sua nova banda, Victor Busquets (Bateria), Renato Limão (Baixo) e Danilo Simi (Guitarra), no final de 2008 é lançado o álbum Cool, novo trabalho da Robson Fernandes Blues Band. Produzido pelo norte-americano Carlos Sander e gravado totalmente analógico, "Cool" se mostra um trabalho surpreendente. Um CD que explora várias vertentes e ritmos diferentes do Blues, com influências do som de Chicago, California e New Orleans. Conta com a participação do saxofonista californiano Troy Jennings, do guitarrista Marcos Ottaviano e do pianista Ari Borger. Mais uma vez RF inova em seu som e torna-se pioneiro ao gravar uma faixa com um quarteto de cordas num CD de Blues no Brasil.
De forma consistente, Robson ganha espaço no cenário nacional e internacional, sua música traz um novo sopro ao blues brasileiro e amplia o fôlego do gênero em terras tropicais.

Fonte: http://www.robsonfernandes.com/

Ouça e veja Robson Fernandes aqui:
http://www.youtube.com/watch?v=2rtOWsuIfoc


Agenda:
08/10 Garage D’ Caza
BH/MG
Tel: 91912716
09/10 Utópica Marcenaria
BH/MG
Tel: 32962868
09/10 Pro Music Workshop
BH/MG
Tel: 31 32213400

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

MÉTODO PARA GAITA DIATÔNICA - LEANDRO FERRARI - GAITA FOLK, POP & ROCK - VOLUME 1

R$ 49,00 PIX CNPJ:  21.081.155.0001/70 Método digitalizado + audio Contato Whatsapp: Leandro Ferrari +55 73 998707338 +44 7376934825 1a Edição  ( EQUIPE MIDIDÁTICA CONSULTORIA LTDA CHEESEBREAD STUDIOS) Título: MÉTODO PARA HARMÔNICA DIATÔNICA - LEANDRO FERRARI - GAITA FOLK, POP & ROCK - VOLUME 1 Autor: Leandro Ferrari Original de Belo Horizonte/MG/Brasil Revisão: Fernanda Shairon Ilustração: Marcelo Braga (EQUIPE MIDIDÁTICA CONSULTORIA LTDA & CHEESEBREAD STUDIOS) Diagramação: Yuri Martuccelli (EQUIPE MIDIDÁTICA CONSULTORIA LTDA & CHEESEBREAD STUDIOS) Direção Geral: José Renato Caldeira de Souza (EQUIPE MIDIDÁTICA CONSULTORIA LTDA & CHEESEBREAD STUDIOS) Foto: Karlis Smits Design Logo: Marcão Freak Formato:  DIGITALIZADO Num. págs. 126 páginas Fotos: https://www.facebook.com/media/set/?set=a.10150938373933331.436116.827753330&type=1&l=5b63f7b595 Conteúdo:  O método é dividido em 100 aulas práticas e teóricas e acompanha
Spotify:  https://open.spotify.com/artist/5iTI2v1yC3rToB3xWHYw7a?si=y4MZPMZvTHetHrXhtIX1-g

Gaita e Efeitos

A utilização de pedais, filtros e truques de estúdio na gaita vêm de muito tempo. Tudo começou com Little Walter; preocupado em não perder espaço para as guitarras que haviam sido eletrificadas após a segunda guerra mundial ele adotou um procedimento simples, ligou um pequeno microfone em um amplificador e mudou de vez a história da gaita. Além de usar este método para obter mais volume ele também explorou novos timbres e efeitos até então inéditos. Segundo o pesquisador Madison Deniro ele foi o primeiro músico a utilizar, propositadamente, uma distorção eletrônica. Você pode notar então que a história da guitarra elétrica se cruza com a história da gaita elétrica. Mas por alguns motivos, dentre eles o conservadorismo dos músicos e do público de blues (diga-se de passagem, que tem todo meu respeito e meu entendimento, pois é necessário exaltar e manter as raízes e a história, também) a gaita não acompanhou o desenvolvimento da guitarra. Nomes como Jimi Hendrix, Jeff Back, Jr. Tostoi