Pular para o conteúdo principal

FESTIVAL “ESTAÇÃO NEW ORLEANS-NOVA LIMA” REÚNE NOMES CONSAGRADOS DO JAZZ, DO BLUES E DO CHORO



Durante dois dias, 23 bandas internacionais e nacionais se apresentarão em Nova Lima

Pela primeira vez o Brasil recebe um evento dedicado à música de New Orleans, cidade norte-americana situada no estado da Louisiana. Durante dois dias, 23 bandas internacionais e nacionais se apresentarão em Nova Lima, na Região Metropolitana de Belo Horizonte.

O Festival “Estação New Orleans-Nova Lima” reunirá nos dias 1, 2 e 3 de junho grandes nomes internacionais e bandas nacionais do jazz, do choro e do blues. Música, cinema e gastronomia se encontrarão nesse evento que levará para a cidade de Nova Lima, localizada a 20 km da capital um pouco da cultura das duas cidades. O festival promete ser inesquecível para o público com mais de 20 horas de shows gratuitos de grandes artistas do Vale do Mississipi e de bandas nova-limenses.

A Estação New Orleans-Nova Lima vai transformar a Praça Bernardino de Lima – referência central da cidade – no palco de grandes shows com renomados nomes do Jazz e do Blues internacional como Leroy Jones Quintet featuring Yolanda Windsay, Cynthia Girtley, Delfeayo Marsalis Quintet, Gary Brown & Kenny Brown, Gunhild Carling and Jazz Festival Brasil Band, Swiss College Dixie Band, Izzy Gordon, Roy Rogers e The Bob Wilber Younger Generation All Stars.



O evento, realizado pela Prefeitura de Nova Lima, em parceria com a Band Minas e a produtora Cultura Livre, vai contar ainda com grandes instrumentistas e músicos nova-limenses com apresentações que passeiam pelo blues, pelo jazz e pelo choro. Bicho Grilo, Beira Kaos, Jader Souza, Ônix, Luis 7 Irmãos e Buá Buá, Amigos do Choro, Acalanto, Cachorro Cego, Lislie Fiorinni, Fusão e Dinil’Sons Jazz Band prometem encantar o público.

A abertura da Estação, no dia 1º de junho, será fechada para convidados no Teatro Municipal Manoel Franzem de Lima – quarta maior casa de espetáculos de Minas Gerais – com a apresentação de Leroy Jones Quintet Featuring Yolanda Windsay, um dos grandes ícones do jazz da atualidade.

Já nos dias 2 e 3 de junho, a programação toma conta da Praça Bernardino de Lima, em dois palcos montados em frente à escadaria da Igreja Matriz. O público poderá conferir grandes shows internacionais e nacionais que mostrarão o melhor dos estilos que fazem sucesso em New Orleans e em Nova Lima.

PROGRAMAÇÃO: http://www.novalima.mg.gov.br/new-orleans/programacao/programacao-estacao-new-orleans-%E2%80%93-nova-lima

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

MÉTODO PARA GAITA DIATÔNICA - LEANDRO FERRARI - GAITA FOLK, POP & ROCK - VOLUME 1

R$ 49,00 PIX CNPJ:  21.081.155.0001/70 Método digitalizado + audio Contato Whatsapp: Leandro Ferrari +55 73 998707338 +44 7376934825 1a Edição  ( EQUIPE MIDIDÁTICA CONSULTORIA LTDA CHEESEBREAD STUDIOS) Título: MÉTODO PARA HARMÔNICA DIATÔNICA - LEANDRO FERRARI - GAITA FOLK, POP & ROCK - VOLUME 1 Autor: Leandro Ferrari Original de Belo Horizonte/MG/Brasil Revisão: Fernanda Shairon Ilustração: Marcelo Braga (EQUIPE MIDIDÁTICA CONSULTORIA LTDA & CHEESEBREAD STUDIOS) Diagramação: Yuri Martuccelli (EQUIPE MIDIDÁTICA CONSULTORIA LTDA & CHEESEBREAD STUDIOS) Direção Geral: José Renato Caldeira de Souza (EQUIPE MIDIDÁTICA CONSULTORIA LTDA & CHEESEBREAD STUDIOS) Foto: Karlis Smits Design Logo: Marcão Freak Formato:  DIGITALIZADO Num. págs. 126 páginas Fotos: https://www.facebook.com/media/set/?set=a.10150938373933331.436116.827753330&type=1&l=5b63f7b595 Conteúdo:  O método é dividido em 100 aulas práticas e teóricas e acompanha
Spotify:  https://open.spotify.com/artist/5iTI2v1yC3rToB3xWHYw7a?si=y4MZPMZvTHetHrXhtIX1-g

Gaita e Efeitos

A utilização de pedais, filtros e truques de estúdio na gaita vêm de muito tempo. Tudo começou com Little Walter; preocupado em não perder espaço para as guitarras que haviam sido eletrificadas após a segunda guerra mundial ele adotou um procedimento simples, ligou um pequeno microfone em um amplificador e mudou de vez a história da gaita. Além de usar este método para obter mais volume ele também explorou novos timbres e efeitos até então inéditos. Segundo o pesquisador Madison Deniro ele foi o primeiro músico a utilizar, propositadamente, uma distorção eletrônica. Você pode notar então que a história da guitarra elétrica se cruza com a história da gaita elétrica. Mas por alguns motivos, dentre eles o conservadorismo dos músicos e do público de blues (diga-se de passagem, que tem todo meu respeito e meu entendimento, pois é necessário exaltar e manter as raízes e a história, também) a gaita não acompanhou o desenvolvimento da guitarra. Nomes como Jimi Hendrix, Jeff Back, Jr. Tostoi