domingo, 17 de maio de 2009

O genial Miles Davis (1ª parte)


Miles Dewey Davis Jr (Alton, Illinois, 26 de Maio de 1926) trompetista, compositor e bandleader de jazz norte-americano é considerado um dos mais influentes músicos do século XX.
Davis esteve na vanguarda de quase todas as fases do jazz desde a Segunda Guerra Mundial até a década de 90. Ele participou de várias gravações de bebop e das primeiras gravações do cool jazz. Fez parte do desenvolvimento do jazz modal e também do jazz fusion. Importantes músicos de jazz fizeram seu nome na segunda metade do século XX nos grupos de Miles Davis, incluindo: Joe Zawinul, Chick Corea e Herbie Hancock, os saxofonistas John Coltrane, Wayne Shorter, George Coleman e Kenny Garrett, o baterista Tony Williams e o guitarrista John McLaughlin. Em 1944 Davis mudou-se para Nova Iorque para conseguir uma bolsa de estudos na Juilliard School, mas ao invés disso ele decidiu procurar a banda de Charlie Parker. Suas primeiras gravações foram feitas em 1945 com o cantor de blues "Rubberlegs" Williams e com o saxofonista Herby Fields; no outono ele se tornou um membro não-oficial do quinteto de Parker, aparecendo em várias gravações iniciais de bebop para os selos Savoy Records e Dial Records. O estilo de Davis no trompete era distinto, pois sufocava algumas notas e errava durante seus solos. Entre 1950 e 1955, Davis fez gravações como líder para os selos Prestige e Blue Note Records, mas por causa de seu problema com drogas ganhou uma reputação de irresponsável. No inverno de 1953 a 1954, entretanto, ele retorna a East St. Luis e se tranca em um quarto na farmácia de seu pai por doze dias até que conseguisse estar livre da heroína. Após superar seu vício, com a ajuda de Sugar Ray Robinson fez uma série de importantes gravações para o selo Prestige, mais tarde reunidas nos álbuns Bag's Groove, Miles Davis and the Modern Jazz Giants e Walkin'. Nessa época, ele começa a usar a surdina para "escurecer" e abrandar o timbre de seu trompete. Este trompete com surdina seria, aliás, associado a Davis pelo resto de sua vida. Em julho de 1955, ele tocou um solo lendário em Round Midnight de Thelonius Monk no Newport Jazz Festival. Esta performance o levou de volta aos holofotes do jazz, fazendo com que George Avakian (Columbia) assinasse com Davis. Em 1955, nasce o seu primeiro Miles Davis Quintet. Este grupo apresentava John Coltrane (saxofone tenor), Red Garland (piano), Paul Chambers (contrabaixo) e Philly Joe Jones (bateria). Evitando a complexidade rítmica e harmônica do então prevalecente bebop, Davis se permitiu tocar com notas ligadas (legato), essencialmente em linhas melódicas com as quais ele começaria a explorar o jazz modal. Nessa época, Davis foi influenciado pelo pianista Ahmad Jamal, que contrastava seu som esparso com o "atarefado" som do bebop. Em Março e Abril de 1959, Davis voltou com seu sexteto para gravar o que seria considerada sua magnum opus, Kind of Blue. Davis e Evans preparam uma estrutura harmônica que os outros músicos viram somente no dia da gravação, a fim de criar uma aproximação de improvisação. O álbum resultante provou ser uma enorme influência para outros músicos. Kind of Blue é o álbum de jazz mais vendido de todos os tempos, sendo certificado com o disco triplo de platina (3 milhões de cópias). As influências de Miles Davis no final da década de 60 incluíam o acid rock e artistas de funk e rock como Sly and the Family Stone, James Brown e Jimi Hendrix.

Ouça e veja Miles Davis aqui:

Nenhum comentário: