sábado, 7 de novembro de 2009

Pedais - O que são, como funcionam, para que servem e dicas sobre cada efeito. 3ª parte.


>>> Grupo dos efeitos de MODULAÇÃO <<<

Estão inclusos no grupos efeitos como CHORUS, FLANGER, SIMULADORES DE LESLIE, PHASER, VIBRATO/TREMULO, RING MODULATOR, etc.
Se formos contar de verdade esse grupo pode ficar gigante se começarmos a contar efeitos vindos da combinação de outros de modulação já existente.

Indico para aprendizagem sobre modulação, os artigos do nosso amigo de FCC, o OldMonkey/Macaco veio, “como montar um chorus e flanger”, lá além da montagem ele explica de forma magistral esses efeitos, funcionamento, etc.

A categoria de modulação trabalha dentro do principio de dobra de sinal, alteração na freqüência, alteração da afinação, alteração da amplitude, alteração na fase do sinal.

PS. Se levar o conceito ao pé da letra os efeitos de PITCH podem ser inclusos em modulação, mas nesse tópico vou colocar em grupo separado.
Descreverei os principais.

CHORUS:
Para entendermos como funciona um chorus, vamos imaginar a seguinte situação: se dois guitarristas tocam o mesmo acode/nota ao mesmo tempo várias vezes, os dois sons gerados por eles vão ter um certo atraso gerado pela diferença execução existente entre um guitarrista e outro, os dois sons estarão sutilmente desafinados, visto que cada guitarrista tem sua “pegada”, e também os sons estarão diferentes devido aos equipamentos serem diferentes (mesmo se for da mesma marca e modelo, nenhum equipamento é igual a outro, nem que essa diferença seja sutil, mas existe). O chorus faz exatamente isso, só que eletronicamente. O atraso gerado geralmente é algo em torno de 20ms e 30ms e esse atraso é somado à onda original, gerado pela guitarra.
Este atraso é levemente desafinado pela variação de velocidade da onda. Imagine dois toca fitas tocando junto só que um deles têm uma leva variação de velocidade, isso gerará uma desafinação e quando os dois forem somados haverá um Chorus.
A variação de velocidade da onda é gerada pelo LFO (Low Frequency Oscilator) – oscilador de baixas freqüências. Variando sua velocidade, o LFO faz mudanças em freqüências muito baixas, fazendo uma leva desafinação no sinal que é dobrado.

Os botões de regulagens que geralmente compõem essas unidades são:
Depth – controla a profundidade da onda dobrada, acentuando ou atenuando a desafinação.
Rate / Speed – Controle de velocidade da oscilação, o distanciamento da afinação (pitch) original.
Outros – os chorus modernos possuem outros recursos como Volume do efeito, Tone para dar mais um brilho no efeito e até um botão (no caso do Ibanez CF-7) chamado 10ms que atrasa mais 10ms do sinal já atrasado. Mas o que comando realmente o chorus é o Depth e o Rate, qualquer outro botão é recurso adicional.

Exemplos:
Boss CE-1 Chorus Ensemble
Boss CE-2 Chorus
Boss CE-3 Chorus
Boss CE-5 Chorus Ensemble
Boss CEB-3 Bass Chorus
Boss CH-1 Super Chorus
Boss DC-2 Dimension C
Boss DC-3 Digital Dimension
Boss PS-3 Pitch Shifter Delay
Danelectro Cool Cat Chorus
Digitech XMC Multi Chorus
DOD FX-65 Stereo Chorus
Dunlop Rotovibe
Dunlop UniVibe
Electro-Harmonix Clone Theory Chorus/Vibrato
Electro-Harmonix Memory Man Deluxe Delay
Electro-Harmonix Small Clone Analog Chorus
Electro-Harmonix Stereo PolyChorus
Fulltone ChoralFlange
Fulltone Deja 'Vibe
Ibanez BC-9 Bi-Mode Chorus
Ibanez BCL Bi-Mode Chorus
Ibanez CF-7 Chorus/Flanger
Ibanez DML-20 Modulation Delay III
Ibanez PDM1 Programmable Modulation Delay
Ibanez SC-9 Stereo Chorus
LandScape Angel Chorus
Line 6 MM-4 Modulation Modeler
Maxon CS-9 Pro STEREO CHORUS PRO
MXR Micro Chorus
MXR Stereo Chorus
Roger Mayer Voodoo Vibe
Sweet Sound Ultra-Vibe Chorus/Vibrato
TC Electronic TCF Chorus/Flanger
Tokai TCH-1 Chorus
Yamaha AG Stomp Acoustic Preamp / Mic Modeler / FX
Yamaha CH-10MII Chorus

FLANGER:
Esse efeito é semelhante ao phase e foi usado pela primeira vez em uma gravação pelo inovador guitarrista Les Paul.
Inicialmente o principio de funcionamento é igual do chorus (dobra + atraso + desafinação + sinal original), mas quando esse chorus foi soar, pegaram essa saída e jogaram novamente na entrada, ou seja, pegaram o sinal que ia sair de um chorus e realimentaram ele, jogando esse sinal na entrada novamente. Então o sinal é tratado como chorus e volta para um segundo tratamento causando um efeito de “redemoinho” ou de “avião a jato”.
Na verdade esse efeito acontece devido a realimentação do sinal que provoca o cancelamento de algumas freqüências criando a sensação de decaimento e aumento em alguma delas.
O flanger permite então vários ajustes, desde um chorus comum (é só deixar o botão Res ou Resonance ou Feedback no zero e ajustar o Depth e o Rate) passando por sons metálicos com ambiências reflexivas a dimensões pequenas (algo como um cano d’agua) até o som de aviões a jato.

Os botões de regulagens que geralmente compõem essas unidades são:
Depth – controla a profundidade da onda dobrada, acentuando ou atenuando a desafinação.
Rate / Speed – Controle de velocidade da oscilação, o distanciamento da afinação (pitch) original.
Res / Resonance / Feedback / Regen – esse é o responsável pela quantidade de sinal que realimentará o efeito, quanto mais realimentação, mais presente será o efeito flanger.
Outros – os flangers modernos possuem outros recursos como Volume do efeito, Tone para dar mais um brilho no efeito e até um botão (no caso do Ibanez CF-7) chamado 10ms que atrasa mais 10ms do sinal já atrasado. Mas o que comando realmente o flanger é o Depth, o Feedback e o Rate, qualquer outro botão é recurso adicional.

Exemplos:
ADA Flanger
Boss BF-2 Flanger
Boss DC-2 Dimension C
Digitech XTF Turbo Flange Stereo Flanger
DOD 101 Flanger
DOD FX-75C Stereo Flanger
DOD FX747 Supersonic Stereo Flanger
Electro-Harmonix Electric Mistress Flanger
Electro-Harmonix Stereo PolyChorus
Fulltone ChoralFlange
Ibanez CF-7 Chorus/Flanger
Ibanez DFL Flanger
Ibanez DML-20 Modulation Delay III
Ibanez FL-9 Flanger
Ibanez PDM1 Programmable Modulation Delay
Line 6 MM-4 Modulation Modeler
Musictronics/Mutron Flanger
MXR Micro Flanger
MXR Stereo Flanger
Pearl Flanger
Ross Flanger
TC Electronic TCF Chorus/Flanger
Tychobrahe Pedal Flanger
Vox Flanger

PHASER:
Esse é o efeito em que Eddie Van Halen arrebentou, confira o trabalho “Atomic Punk” desse mestre da guitarra.
O phaser era produzido originalmente gravando e reproduzindo o mesmo sinal em dois gravadores; as variações de pitch e velocidade provocam um efeito (wooshing). Largamente utilizado nos anos 60 pelas bandas psicodélicas, o phaser continua a ser um efeito popular. Esta unidade data de meados dos anos 70.
O interessante resultado sonoro caracterizado neste efeito é obtido da seguinte forma: soma-se à onda original uma onda de mesma freqüência e amplitude, mas com uma variação temporal e linear de fase, o que resulta em uma série de interferências construtivas e destrutivas. O único parâmetro desse tipo de efeito é a freqüência com que varia a fase da onda somada à original.
O efeito de phase emprega atrasos muito curtos na faixa de 1 a 10 ms. Quando o sinal original é atrasado em relação ao sinal repetido ocorre um efeito conhecido por comb filter no qual as freqüências cujos períodos estão diretamente relacionados ao tempo de atraso são atenuadas e reforçadas devido ao cancelamento de fase. Efeitos de phase utilizam um determinado número de filtros para gerar o efeito comb. Usando um modulador (LFO) para mover esse filtro dentro de uma determinada região do espectro causa um cancelamento de fases variável dependente das frequências usadas.
A diferença entre phase e flanger é que neste último a atenuação e o reforço das frequências ocorrem em intervalos regulares enquanto que no phase isso depende da disposição dos filtros. Além disso, no phase o espaçamento, a largura e a intensidade (depth) podem ser variáveis. Em geral, flange tem um efeito no campo das alturas mais pronunciado que o phase.

Os botões de regulagens que geralmente compõem essas unidades são:
Rate / Speed - Determina a velocidade com o que o modulador irá varrer ciclicamente a faixa de espectro determinada.
Range - determina essa faixa do espectro a ser varrida pelo modulador.
Outros - filtros, feedback loop.

Exemplos:
ADA Final Phase
Big Briar Mooger Fooger MF-103 Phaser
Boss PH-1 Phaser
Boss PH-1r Phaser
Boss PH-2 Super Phaser
Boss PH-3 Phaser Shifter
DOD FX20C Stereo Phaser
Electro-Harmonix Bad Stone Phaser
Electro-Harmonix Small Stone Phaser Russian
Electro-Harmonix Small Stone Phaser USA
Fulltone Deja 'Vibe
Guyatone PS-3 Phase Shifter
Ibanez PDM1 Programmable Modulation Delay
Ibanez PH-7 Phaser
Ibanez PT-707 Phasetone II Phaser
Ibanez PT-9 Phaser
Ibanez PT-909 Phase Tone Phaser
Line 6 MM-4 Modulation Modeler
Maestro Phase Shifter
Motorphasor Phaser
Musictronics/Mutron Bi-Phase Phaser
Musictronics/Mutron Phaser II
MXR Phase 100 Phaser
MXR Phase 45 Phaser
MXR Phase 90 Phaser
Pearl Phaser
Ross Phaser
TC Electronic XII Progammable Phaser
Tokai TPH-1 Phaser
UniVox Micro-Fazer Phaser
Yamaha PH-10MII Phaser

SIMULADORES LESLIE / ROTARY SPEAKER:
Efeito obtido originalmente com uma caixa acústica girando, o que produz alterações de fase interessantes, principalmente em timbres de órgão e cordas. Esse efeito foi primeiramente gerado pela caixa Leslie, que era muito usada com os antigos órgãos Hammond. Para guitarra esse efeito é algo próximo de um chorus.
Qual a diferença entre caixa Leslie e Rotary Speaker??? Simples. A Leslie é um objeto que possui “falantes” acoplados a um motor. Rotary Speaker é o efeito que gerado pela Leslie, quando os falantes estão girando.

Exemplos:
DOD FX22 VibroThang
Dunlop UniVibe
Fulltone Deja 'Vibe
Hughes and Kettner Tube Rotosphere
UniVox Uni-Vibe
UniVox UniVibe
VooDoo Lab Micro Vibe

VIBRATO / TRÊMULO:
O conceito de vibrato e trêmulo se confundem, na verdade é até caso de muitas discussões. É certo que realmente esses dois itens se confundem, principalmente porque até fabricantes de pedais fazem pedais chamados Trêmulo e pedais chamados Vibrato, mas eu não vou discutir com ninguém mas vou postar aqui minhas conclusões mediante as pesquisas que fiz.
Então, qual é a diferença entre vibrato e trêmulo??? O conceito de vibrato é múltiplas variações de tom, você treme a mão esquerda, como se estivesse fazendo vários bends menores na mesma nota ou treme a sua ponte fazendo o mesmo efeito. Trêmulo é a técnica usada para obter o efeito de Vibrato. Isso mesmo a técnica que consiste em tremer a corda com a mão ou com a alavanca, gerando um Vibrato é exatamente o Trêmulo. Resumindo Trêmulo é a técnica, a execução que tem por resultado o efeito vibrato.
Nos pedais isso não passa de variação da freqüência do sinal. A esse sinal que sofre a variação de freqüência não é adicionado o sinal original como acontece no chorus, flanger, por exemplo.
Existem também versões que apontam que Vibrato é variação de tom (como expliquei acima) e Trêmulo é uma variação periódica de amplitude (como variar periodicamente o botão de volume num aparelho de som).
Fica a critério de cada um escolher em qual versão acreditar. Ambas as explicações têm nexo...

Exemplos:
Boss PN-2 Tremolo Pan
Boss PS-5 Super Shifter
Boss TR-2 Tremolo
Boss VB-2 Vibrato
Colorsound Tremolo
Diaz Tremodillo Tremolo
DOD FX22 VibroThang
Dunlop Rotovibe
Dunlop UniVibe
Dunlop TS-1 Tremolo Stereo Pan
Dunlop TVP-1 Tremolo Volume
Electro-Harmonix Clone Theory Chorus/Vibrato
Electro-Harmonix Memory Man Deluxe Delay
Electro-Harmonix Wiggler Tremolo / Vibrato
Fulltone Deja 'Vibe
Guyatone VT-3 Vintage Tremolo
Hughes and Kettner Tube Rotosphere
Line 6 MM-4 Modulation Modeler
Prescription Electronics Throb Tremolo
Rocktron Surf Tremolo/Compressor
Roger Mayer Voodoo Vibe
Sweet Sound Ultra-Vibe Chorus/Vibrato
VooDoo Lab Micro Vibe
VooDoo Lab Tremolo
Zvex Seek Wah / Tremolo / Filter

OUTROS MODULADORES:
Como eu disse anteriormente se for para descrever todos os efeitos moduladores, isso precisaria de um trabalho muito grande, pois alem dos três (chorus, flanger e phaser) descritos existem outros que são combinação ou variação um dos outros. Enfim onde houver uma variação ou de fase, ou de freqüência e até mesmo de amplitude e que essa variação ou essas variações seja combinada com o sinal original poderá ser um modulação. Depois, ainda, desse resultado obtido, se usa-lo para realimentar o circuito haverá mais opções de efeitos todos oriundos de uma modulação ou modulações sejam elas quais forem.

Exemplos:
Big Briar Mooger Fooger MF-102 Ring Modulator
DOD FX13 Gonkulator Ring Modulator
Fender Blender Fuzz Octave
Maestro Ring Modulator

Fonte: Fernando Almeida
http://forum.cifraclub.terra.com.br/membro_51834.html

Nenhum comentário: