quinta-feira, 10 de março de 2011

Parabéns pela reportagem Estado de Minas, fiquei emocionado!



http://www.divirta-se.uai.com.br/html/sessao_19/2011/01/20/ficha_musica/id_sessao=19&id_noticia=33678/ficha_musica.shtml

Bandas cover de Belo Horizonte partem para profissionalização...
Montar uma banda que homenageia outro artista exige dedicação, dinheiro e muito estudo. Grupos de BH deixam amadorismo de lado e se dedicam a conquistar fãs na capital e em outros estados.

‎"...ficar ensaiando não seria viável. Quando há algo novo para tocar, ensaiamos na própria passagem de som, pouco antes do show”. Eles se apresentam quase semanalmente em bares da capital mineira..." ;)

Ainda bem que o Nação Zumbi escolheu o caminho mais difícil!

Erasmo Carlos música Cover (Homenagem Covers RS)
http://www.youtube.com/watch?v=1dtHTDnkJHA


Aliás cover é uma coisa, releitura é outra!

2 comentários:

Leo disse...

eu lembro da banda de um amigo meu que tocava mundos de covers. Os caras tocavam em tudo quanto é canto e até começou a dar algum dinheiro.

um belo dia, os caras resolveram fazer um cd inteiro só de músicas autorais. A impressão que eu tive foi que foi um desastre. É muito difícil tocar para um público que não sabe o que vc vai tocar.

é uma pena, pq eu acho que no fundo, só reflete um certo amadorismo... da platéia :-). A gente passa uma vida inteira morando num lugar onde sempre se tocam as mesmas e poucas bandas, sempre com as mesmas propostas.

E aparentemente, porque talvez elas tenham cansado de dar murro em ponta de faca.

Mas eu tenho fé que um dia as pessoas vão ser mais exigentes musicalmente falando. Só não sei que dia vai ser.

Leandro Ferrari disse...

Concordo. Mas em relação aos seus amigos talvez o sucesso viesse como veio para vários outros artistas, através de novos CDs e pela insistência naquilo que você acredita. Desistir no primeiro obstáculo é uma característica dos seres humanos, falo isso pois sou professor de musica e vivo isso diariamente. Obrigado pelo comentário, seja sempre bem-vindo!